Equilíbrio por toda a vida

Por: Fleury

Edição: 17

Em um momento crucial da evolução humana, há cerca de 2 milhões de anos, o homem mudou o seu centro de gravidade e conquistou um novo modo de viver. A cabeça se firmou na parte superior da coluna, o tronco se equilibrou sobre os membros inferiores e o corpo passou a ter como base o espaço delineado pela planta dos pés. Os olhos se voltaram para a frente, e o homem caminhou ereto sobre as duas pernas. Este foi um passo fundamental para nos tornar o que somos hoje. Com esse novo equilíbrio, o homem pôde olhar para o horizonte, ver um novo mundo de possibilidades. Com as mãos livres, começou a manusear mais e mais objetos, a carregar alimentos. Entender a beleza desse movimento passa pela explicação da adaptação pela qual passou a coluna vertebral humana. Ela ganhou um contorno sinuoso, com curvas em forma de S. Ganhou uma flexibilidade que, com o desenvolvimento da musculatura, permitiu que os homens tivessem força e equilíbrio para ficar em pé, andar e correr. Dos primeiros passos, passando pelo estirão de crescimento da adolescência até as mudanças estruturais decorrentes do envelhecimento, a coluna é a sustentação do nosso corpo. No entanto, toda mobilidade do ser humano tem como contrapartida algumas vulnerabilidades, acentuadas pelo cotidiano da maioria das pessoas no mundo moderno. Praticar pouco exercício físico, carregar bolsas e mochilas pesadas e permanecer muito tempo na mesma posição, por exemplo, faz muito mal à coluna. Por isso, as dores nessa parte do corpo estão entre as principais queixas nos consultórios de ortopedia e nos centros de dores crônicas, sendo também um dos principais motivos de licenças do trabalho. Estimativas médicas afirmam que 80% da população tem ou terá problemas na coluna em algum momento da vida. Pesquisa do Ibope, em nove capitais do país, mostrou que a dor nas costas é descrita como a mais forte e a que mais incomoda. É como se soasse um alarme de que algo não vai bem no organismo e que mudanças devem ser adotadas para que o corpo volte ao seu equilíbrio natural.


Leia a matéria completa CLICANDO AQUI.

1 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo